Após morte de Marielle, deputados da UE pedem fim de acordo com Mercosul - Mg Noticias.net

Mg Noticias.net

Mg Notícias aqui você fica bem informado!

Após morte de Marielle, deputados da UE pedem fim de acordo com Mercosul

Após morte de Marielle, deputados da UE pedem fim de acordo com Mercosul

Share This


Diante da morte da vereadora Marielle Franco, mais de 50 deputados do Parlamento Europeu pediram nesta quinta-feira (15) a suspensão "imediata" das negociações para um acordo comercial entre União Europeia e Mercosul. De acordo com o site Terra, os deputados protestaram por meio de um documento endereçado a vice-presidente da Comissão Europeia, a italiana Federica Mogherini, responsável pela diplomacia do bloco. O documento foi divulgado pelo jornalista Jamil Chade. "Esse assassinato se produz em um clima de crescente violência no Brasil e em particular na cidade do Rio de Janeiro. A política de segurança do Governo brasileiro e do Estado do Rio de Janeiro, baseada essencialmente no aumento da presença de corpos policiais e militares (e que culminou na intervenção do Exército brasileiro), não fez mais do que agravar o clima de violência no país", diz a carta assinada pelo deputado espanhol Miguel Urbán Crespo, do partido de esquerda Podemos. O documento ainda lembra que Marielle era relatora da comissão municipal criada para fiscalizar a intervenção militar no Rio e crítica da violência policial na capital carioca. . "A defesa das populações oprimidas e discriminadas deve ser uma prioridade para a União Europeia. O assassinato de Marielle Franco pretende amedrontar os defensores dos direitos humanos, assim como influir nas eleições deste ano", diz o texto, que se encerra com um pedido para que a Comissão Europeia, poder Executivo da UE, "suspenda as negociações comerciais, de forma imediata", com o Mercosul, "exigindo do Brasil uma investigação independente, rápida e exaustiva que permita alcançar a verdade e a justiça". Todos os deputados do Grupo da Esquerda Unitária Europeia, que reúne 52 parlamentares de partidos comunistas e socialistas, como o Podemos, o grego Syriza, o irlandês Sinn Féin, o alemão Die Link e o português Bloco de Esquerda assinaram o documento.

Nenhum comentário:

Pages