Candidato à presidência do TJ-BA, Olegário constata déficit de juízes e problemas orçamentários - Mg Noticias.net

Mg Noticias.net

Mg Notícias aqui você fica bem informado!

Candidato à presidência do TJ-BA, Olegário constata déficit de juízes e problemas orçamentários

Candidato à presidência do TJ-BA, Olegário constata déficit de juízes e problemas orçamentários

Share This


O desembargador José Olegário Monção Caldas vem articulando o seu nome para a sucessão da presidência do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) depois que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) arquivou, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), um inquérito do qual era alvo por suposta violação de sigilo processual.

"Estou colocando meu nome à disposição dos colegas. Estou atendendo a um grupo de colegas que acha que posso pleitear a presidência do tribunal", disse o magistrado em entrevista ao programa Balanço Geral da RecordTV Itapoan, no início da manhã desta sexta-feira (20).

Na conversa com o apresentador Raimundo Varela, Olegário fez um diagnóstico do Judiciário no estado. "Há um déficit de juízes. Primeiro, porque nós temos problemas orçamentários sérios. Depois, a Bahia tem as peculiaridades sérias dela de distância, de estrutura. O nosso tribunal tem um custo altíssimo para manter funcionando seus órgãos no interior da Bahia, principalmente porque não tem comunicação fácil", constatou o desembargador, que já se inscreveu como um dos candidatos para a sucessão da atual presidente Maria do Socorro Santiago.

"O nosso tribunal efetivamente é pequeno, temos que aumentar nosso tribunal. Mas, hoje, com todo esse trabalho que vem sendo desenvolvido na área de informática, tem melhorado muito. A presidente Maria do Socorro tem dado uma atenção muito especial ao desenvolvimento de sistemas e adoção de providências nesta área de comunicação e informática", apontou.

Para o desembargador, se levar em consideração o tamanho da Bahia e a necessidade de atuação do tribunal em todos os cantos, pode-se dizer que o orçamento "é pobre". “Mas isso porque a Bahia é pobre. Mas o governador Rui Costa dá uma atenção muito grande ao Judiciário e nós conseguimos cumprir nossas obrigações”, salientou.

A eleição está prevista para ocorrer no próximo dia 16 de novembro e dentre os nomes que podem concorrer ao cargo máximo do Judiciário baiano estão, além de Olegário, os desembargadores Lourival Trindade, Gesivaldo Brito, Rosita Maia e Cícero Landim.

Nenhum comentário:

Pages