Cunha afirma que sua prisão foi apenas um troféu para Janot - Mg Noticias.net

Mg Noticias.net

Mg Notícias aqui você fica bem informado!

Cunha afirma que sua prisão foi apenas um troféu para Janot

Cunha afirma que sua prisão foi apenas um troféu para Janot

Share This


Em sua primeira entrevista desde que foi preso preventivamente em mais de um ano, Eduardo Cunha, afirma ter histórias quilométricas para delatar e confirma o interesse em firmar um acordo de colaboração premiada. 

Protagonista do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Cunha revela que foi pressionado pelo Ministério Público para confirmar informações constantes em delações de outros investigados para que pudesse ter o seu pedido atendido.

De acordo com Cunha, não havia boa-fé na Procuradoria-Geral da República quando chefiada por Rodrigo Janot. “Janot queria que eu colocasse mentiras na delação para derrubar o Michel Temer. Se vão derrubar ou não o Michel Temer, se ele fez algo de errado ou não, é uma outra história. Mas não vão me usar para confirmar algo que não fiz, para atender aos interesses políticos do Janot. Ele operou politicamente esse processo de delações”.

A entrevista exclusiva à revista Época, publicada neste sábado, traz ainda as contestações do ex-presidente da Câmara dos Deputados às informações fornecidas ao MP pelo doleiro Lúcio Funaro. 

Cunha considera absurda parte da delação de Joesley Batista da J&F. “O Joesley fez uma delação seletiva, para atender aos interesses dele e do Janot. Há omissões graves na delação dele. O Joesley poupou muito o PT. Escondeu que nos reunimos, eu e Joesley, quatro horas com o Lula, na véspera do impeachment. O Lula estava tentando me convencer a parar o impeachment.

Isso é só um pequeno exemplo. Eu traria muitos fatos que tornariam inviável a delação da JBS. Tenho conhecimento de omissões graves. Essa é uma das razões pelas quais minha delação não poderia sair com o Janot. Ele, com esses objetivos políticos, acabou criando uma trapalhada institucional, que culminou no episódio do áudio da JBS. Jogou uma nuvem de suspeição no Supremo sem base alguma”.

Para Cunha, a sua prisão é na verdade um troféu político, assim como a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é perseguida para se tornar “honraria” de Sérgio Moro. “Minha prisão foi absurda. Não me prenderam de acordo com a lei, para investigar ou porque estivesse embaraçando os processos. Prenderam para ter um troféu político. O outro troféu é o Lula. Um troféu para cada lado. O MP e o Moro queriam ter um troféu político dos dois lados”.

No trecho disponibilizado na internet, o resumo da entrevista, ainda está a afirmativa de que Moro foi exitoso no seu plano de criar uma operação similar à ocorrida na Itália contra a máfia só que mirando a elite política brasileira. “Nós temos um juiz que se acha salvador da pátria. Ele quis montar uma operação Mãos Limpas no Brasil – uma operação com objetivo político. Queria destruir o establishment, a elite política. E conseguiu”

Nenhum comentário:

Pages